Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Rua General Jardim, 846 cj 41 Higienópolis, São Paulo - SP


  Telefone: +55 (11) 3231-4638   (11) 99863-5577

05. Osteoma Osteóide do Colo do Fêmur em Criança – Conduta – Planejamento – Técnicas de ressecção e de reconstrução com enxerto autólogo

  • Resumo:

          Paciente masculino, com oito anos e cinco meses de idade, dor do quadril direito havia cinco meses, devido à osteoma osteóide na região medial do colo femoral direito. Técnica completa da exerese do nicho central do tumor.

 

Você pode ver esta técnica com imagens maiores em:

Técnica de ressecção de osteoma osteóide do colo femoral

Veja também os artigos publicados:

 Osteoma osteóide: planejamento diagnóstico e técnica cirúrgica*

Via de acesso medial ao quadril para ressecção das lesões tumorais

  • Descrição da técnica:

Paciente masculino, com oito anos e cinco meses de idade, referia dor do quadril direito havia cinco meses. As radiografias do quadril evidenciaram lesão esclerótica com nicho central no colo femoral direito. (Figuras 1 à 4).

A cintilografia óssea revelou a presença de imagem única, com intensa captação no colo. (Figuras 5 à 7).

 Para o planejamento cirúrgico, na sala de radioscopia, sob anestesia, localiza-se o colo femoral e realiza-se um pequeno orifício na cortical, o mais próximo do centro do nicho, realizando-se os controles no perfil e frente (Figuras 8 à 11).

 Após a marcação, realiza-se uma tomografia para calcular, milimetricamente, a distância do orifício realizado, até o centro da lesão (Figuras 12 e 13).  

Neste caso, como a lesão esta localizada na porção medial do colo femoral, preferimos realizar a cirurgia por via medial. Sugerimos consulta aos artigos tanto da técnica para este planejamento, como da técnica da via de acesso medial que publicamos na Revista Brasileira de Ortropedia (Figuras 14 e 15).

Esta falha óssea representa mais de 25 % do colo femoral e pode demorar cerca de três anos para refazer-se. Nesta localização, o risco de fratura do colo é muito grande e devemos ser criteriosos e reconstruir a falha com enxerto autólogo, preferencialmente.

O osteoma osteóide é uma neoplasia óssea benigna que quando é ressecado em bloco ocorre a cura da lesão, sem necessidade de nenhum outro tratamento complementar. Em locais com alto risco de fratura, como o colo femoral, é imperativo a reconstrução com enxerto autólogo, para permitir a restituição anatômica da articulação, viabilizando uma função normal do quadril.

 

_____________________________________________

            Autor : Prof. Dr. Pedro Péricles Ribeiro Baptista

                         Oncocirurgia Ortopédica do Instituto do Câncer Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho                   

Consultório: Rua General Jardim, 846 –  41  –  CEP: 01223-010   Higienópolis   São Paulo – S.P.

                        Fone: +55 11 3231-4638   Cel: +55 11 99863-5577   Email: pedro@oncocirurgia.com

_______________________________________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *