Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Rua General Jardim, 846 cj 41 Higienópolis, São Paulo - SP


  Telefone: +55 (11) 3231-4638   (11) 99863-5577

06. Osteossarcoma da Tíbia – Prótese parcial rotatória – Técnica de Capsuloplastia e Ligamentoplastia do Joelho

 Em portugês, você também pode ver este tema com imagens maiores aqui: http://bit.ly/osteossarcoma_tibia

 En español, también se puede ver el tema con imágenes más grandes aquí:  http://bit.ly/osteosarcoma_es

Resumo:

  • Descrição do caso, discussão e conduta:

Paciente feminina, 14 anos e 8 meses de idade, refere dor no joelho direito, havia uma semana, após exercício na educação física. A radiografia simples realizada mostra uma lesão lítica de aproximadamente 1,5 cm de diâmetro na face póstero medial da região metafisária da tíbia direita, que é interpretada como fibroma não ossificante (Figura 1).

A mãe insiste com o radiologista para realizar uma ressonância magnética, pois havia um antecedente de neoplasia na família (Figuras 2 a 9).

Após dez dias foi realizada uma tomografia computadorizada do tumor (Figuras 10 e 11).

 O estadiamento foi complementado com cintilografia óssea, tomografia do tórax, abdome e pelve (Figuras 12 à 20).

Os exames laboratoriais e seus resultados foram: hemograma= normal; VHS= discretamente elevado; DHL= normal; Ca++= normal ; F++= normal e  FA= elevada.

   A análise deste quadro clínico, paciente com 14 anos de idade (adolescente), com a alteração laboratorial (↑VHSe ↑FA) e de imagem (lesão metafisária agressiva), apontam para a hipótese diagnóstica de osteossarcoma e muito remotamente  de fibroma condromixóide, como diagnóstico diferencial. 

   Após o estadiamento sistêmico e local da lesão, com os exames de imagem e laboratoriais, foi realizada a biópsia da lesão, com agulha de Jamshidi sob controle de radioscopia (Figura 20 e 21).

 A anatomia patológica revelou tratar-se de osteossarcoma de alto grau (Figuras 22 e 23). 

O Tratamento deste tumor é quimioterapia pré-operatória, seguida de cirurgia de ressecção da lesão com margens oncológicas e quimioterapia pós-operatória.

   Após a quimioterapia adjuvante (pré-operatória) e foram realizados os exames de imagem, para avaliação clínica da resposta à quimioterapia de indução e planejamento cirúrgico (Figuras 30 à 38). 

Com a boa resposta clínica e de imagem foi confeccionada uma prótese sob medida especial para esta paciente, que permitisse a reconstrução funcional, após a ressecção do segmento proximal da tíbia, com preservação dos meniscos e reconstrução cápsulo-ligamentar.

   Após realizados três ciclos de quimioterapia neo-adjuvante, esperamos a recuperação hematológica da paciente e realizamos a cirurgia de ressecção da lesão, com margens oncológicas e reconstrução com prótese especial, parcial de tíbia proximal. (Figuras 30 à 85) 

 O vídeo mostra a amplitude articular, no intraoperatório, que a prótese parcial de tíbia permite. Esta prótese é confeccionada de polietileno e titânio, especialmente para cada paciente, necessitando ter o tamanho adequado para adaptar-se à dimensão dos côndilos femorais.

_____________________________________________

            Autor : Prof. Dr. Pedro Péricles Ribeiro Baptista

                         Oncocirurgia Ortopédica do Instituto do Câncer Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho                   

Consultório: Rua General Jardim, 846 –  41  –  CEP: 01223-010   Higienópolis   São Paulo – S.P.

                        Fone: +55 11 3231-4638   Cel: +55 11 99863-5577   Email: pedro@oncocirurgia.com

_______________________________________________

2 Comentários
  1. Responder
    Jailton Gonçalves dos Santos

    Olá doutor Pedro,bom dia meu nome é Jailton, talvez o não lembre de mim,mas trabalhei na Impol e fui eu quem confeccionou essa Endoprótese. Essa é a primeira vez que eu vejo uma Endoprotese confeccionada por mim implantada e ver o resultado no pós operatório, fico muito feliz com o resultado é principalmente saber que tive participação indireta na recuperação dá paciente. Hoje infelizmente na empresa que trabalho,e que é concorrente dá Impol,está numa fase muito complicada, e não estamos mais confeccionando Endoprótese,por falta de registro,fico muito triste com isso.

    • Puxa, muito agradável receber notícias tuas. Parabéns pelo trabalho. Todos nós agradecemos pela tua arte. A modelagem ficou 10!, como costmumava dizer o Dr. Roberto Fabroni. Venha tomar um café no consultório. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *